segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

São Paulo: Fundação abrirá 'laboratório de florestas' em Itu

03/12/2007 - 18h29

Sorocaba, SP - A Fundação SOS Mata Atlântica produzirá 400 mil mudas de espécies nativas por ano no Centro de Experimentos Florestais, instalado em parceria com a Schincariol, em Itu, a 92 quilômetros de São Paulo. O local, uma antiga fazenda de café da empresa, com 540 hectares (5,4 milhões de metros quadrados), funcionará como uma espécie de laboratório para a recriação de florestas e matas que desapareceram no interior do Estado.

Com o apoio de universidades, serão desenvolvidas e testadas técnicas de restauração florestal. De acordo com o diretor de Captação de Recursos da fundação, Adauto Basílio, o lugar será uma base avançada de educação ambiental. O viveiro de mudas deve produzir 2 milhões de árvores nos próximos cinco anos.

Desse total, 700 mil serão destinados à recuperação de 386 hectares (3,9 milhões de m²) da propriedade rural. O restante, 1,3 milhão de mudas, irá para as áreas do entorno, num raio de 50 quilômetros, uma região outrora coberta pela mata atlântica e que perdeu quase toda a cobertura original.

"A região de Itu tem 6,7% da floresta original, sendo que a média do Brasil é de 6,9%", disse Basílio. Um dos efeitos do desmatamento, segundo ele, é a falta de água até para abastecimento. "A cidade enfrenta períodos de racionamento há cinco anos." O centro terá um banco de sementes com foco nas plantas mais raras, que escasseiam na região.

Os coletores serão treinados pelos pesquisadores da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), de Piracicaba (SP), que apóia o projeto. "Vamos atrás de árvores que já são mais vistas com freqüência para assegurar a biodiversidade." A Esalq vai colaborar também na formação de técnicos ambientais. O laboratório receberá estagiários de universidades e fará a capacitação de professores de escolas públicas e particulares nas disciplinas relacionadas com o meio ambiente. "Teremos até quatro professores de cada escola que aderir, e eles vão passar um mínimo de 20 horas conosco", disse o diretor de Captação de Recursos da Fundação SOS Mata Atlântica. Outras empresas, como a Bradesco Capitalização, apóiam a proposta.

José Maria Tomazela

Fonte: Notícias Uol

http://noticias.uol.com.br/ultnot/brasil/2007/12/03/ult4469u14845.jhtm

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial